quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Palhaços, Mendigos e Falsos Profetas


Já na antiga Grécia se falava sobre essas figuras patéticas. Platão, no seu livro A República, os chamava de “mendigos e adivinhos”, gente que manipulava a fé dos gregos nos deuses para fins lucrativos, e ao mesmo tempo a própria população grega os usava para tentar ludibriar ou subornar os deuses com oferendas e sacrifícios. Creio ser de uma indelicadeza de Platão chamar gente tão mesquinha de “mendigos”. Talvez ele tenha pensado que eles estavam “mendigando” honrarias e prêmios.

O tempo passa, o mundo sofre transformações gigantescas, mas percebe-se que o homem continua o mesmo. Suas carências, necessidades e desejos estão presentes em todas as eras e impérios; e junto disso aparecem em cena os famosos aproveitadores que tentam, com algum sucesso, manipular corações atribulados com o fim de glorificar apenas um deus: eles mesmos. Há líderes religiosos na televisão e na rádio, tanto na nossa região como no nosso país e no mundo que dizem servir a Deus, mas são amantes das riquezas. Sua aliança não é com a Cruz, é com o seu e o meu bolso. Enquanto você compra as toalhinhas da cura, recebe os abraços da prosperidade, paga os horários caríssimos do canal de televisão, você é boa gente; se não, você está em pecado e muito provavelmente não tem fé e, portanto não tem a benção de Deus. Ah, faça-me o favor!

Gente desse porte Jesus chama de “falso profeta”. Tudo que eles dizem Deus não mandou dizer. Tudo o que eles profetizam Deus não profetizou. Tudo o que eles pedem Deus não pediu. Tudo o que eles manipulam Deus vai prestar contas. Outro nome dado a eles é de “sepulcros caiados”, ou seja, túmulos bonitos e bem ornamentados por fora, mas por dentro só carregam mau cheiro, carne podre e morte. Se não há vida nesses “profetas”, como podem falar sobre a vida? Como podem ensinar a viver? O que eles ensinam são morte e desesperança. Nada do que podemos fazer, dizem eles, pode acalmar o coração de Deus. Por isso a necessidade de sempre “ofertar” a Deus nosso dinheiro, posses, riquezas, coisas e nunca o coração. Para esses ladrões da alegria e da fé, o coração não basta. Entendam isso: nada do que podemos fazer, ou para mais ou para menos, fará Deus nos amar mais ou menos. Ele nos ama pelo que somos, e não pelo que podemos fazer por Ele ou para Ele. Os manipuladores existem porque tem gente que insiste em manipular a Deus.

Mas ainda restam aqueles que não seguem essa maré. São artistas, palhaços e andarilhos que não se vendem e não compram escravos. Pelo contrário, por onde passam causam um fantástico reboliço na vida da gente trazendo alegria e a experiência da verdadeira liberdade. Palhaços nos avisam todos os dias: “Como a graça de Deus nos faz felizes e seres humanos melhores”. Andarilhos nos lembram como é importante amar as pessoas e usar as coisas e não amar as coisas e usar as pessoas. Os artistas nos fazem imaginar pessoas vivendo em paz, sem disputas religiosas e de poder e nos fazem acreditar que dias melhores ainda podem vir. Esse tipo de gente Deus tem amizade e intimidade. Escutem o que eles têm pra dizer, pode ser que o próprio Deus esteja querendo aumentar o número de amigos.

3 comentários:

Marcos Botelho disse...

"Mas ainda restam aqueles que não seguem essa maré. São artistas, palhaços e andarilhos..." Parabéns pelo texto amigo!

Preletora Jurema disse...

O que mais há no meio evangélico é falso profeta. São pessoas que dizem que Deus está falando quando Deus não falou. A intenção é enganar as pessoas e se enriquecer em cima da fé dos outros. Como cristãos devemos estudar a Palavra de Deus para não sermos enganados.
Jurema de Souza Martins
preletorajurema.blogspot.com

Wilson Ribeiro disse...

É, mano, essas pessoas envergonham o evangelho. Mas o amor desse nosso Deus se estende a eles também. Então continue falando, continue tocando a trombeta! Deus os fará ouvir e pensar no assunto. Um dia, eu creio, essas pessoas conheceram algo de Deus e o seu espírito tem saudades. E o melhor, Deus não abre mão desses bobões também e está à porta batendo.
Mas melhor do que tocar essa trombeta aí é tocar a trombeta do amor de Deus, da salvação, do quê Deus quer e tem pra nós. O amor de Deus constrange a todos, esse amor é insuportável, irresistível. Vejo que o diabo quer calar essa trombeta, então nos faz sentir nojo da primeira situação pra ficarmos perdendo muito tempo com ela. Mas aqueles que amam uns aos outros serão conhecidos como discípulos de Jesus.
Não vamos cair nessa armadilha. Não vamos deixar o diabo ganhar essa briga e desviar o nosso foco.
A primeira trombeta aí a gente toca dentro da igreja de vez em quando e deixa o povo tentar dormir com esse barulho...
Mas a segunda tem que ser tocada a todo momento, em todo lugar. Sabe aquela frase "batida" que dizíamos no passado e hoje parece que perdeu o poder:
"Jesus Te Ama"
Quando deixamos de acreditar no poder que há nessas 3 palavrinhas?
Eu nem lembro mais quais eram as estratégias. Mas o Brasil ia se tornando um país evangélico por causa dela. Agora virou um país gospel e ridículo.
Mas o poder do amor de Cristo precisa emanar de nosso ser e iluminar os que andam na escuridão.
Vamos tocar a trombeta dos falsos profetas? Claro que vamos!!!
Mas a trombeta do amor é a que transforma o mundo. Essa é mais importante e necessária nesse nosso mundo, nosso país, nossa cidade, nossa sociedade tão injusta em que vivemos.
Você é um profeta, cara, um "João Batista", daqueles que dizem por aí sem medo: "Raça de víboras... quem vos ensinou a ..."
Tenho o maior orgulho de estar caminhando mais perto de você e de gente que não brinca com o nome do meu Deus.